Retour à l'accueil

                  
Tamarindo

Nome científico : Tamarindus indica L.

Árvore geralmente com 30 metros, seu tronco divide-se em numerosos ramos curvados formando copa densa e ornamental, folhagem frondosa verde-escura. Um extenso sistema de raízes permite sua adaptação em terrenos semi-áridos e expostos a fortes ventos.
Flores hermafroditas amarelas com manchas vermelhas reunidas em imflorescência tipo cacho.
O fruto cresce em cacho, tem casca dura e quebradiça, marrom, no formato de vagem, achatados, entre 10 e 15 cm de comprimento. É colhido maduro entre o fim da primavera e o início do verão, quando as sementes em seu interior são envolvidas por uma polpa espessa, amarelo-avermelhada, de sabor doce e azedo.
Fructificação no verão.

De características laxativas, a polpa do tamarinho é bastante recomendada para curar males do intestino.
O fruto é rico em vitamina B e em sais minerais, como cálcio, fósforo, ferro e cloro. Da polpa espessa faz-se todo o tipo de subprodutos bastante apreciados : refrescos, sorvetes, doces e conservas. Também entra no preparo de molhos para carnes e cozidos variados, arroz, peixe, conferindo à comida uma acidez agradável.
O chá da polpa do fruto é indicado para controle de febre e é calmante. A polpa também é adstringente e refrigerante. A decocção é indicada para curar prisão de ventre, usando-se 10 g de polpa do fruto em meio litro de água, bebendo duas xícaras ao dia.
A madeira é de excelente qualidade e pode ser usado para diversas finalidades : forte, resistente à ação de cupins, presta-se bem para fabricação de móveis, brinquedos, pilões, e preparo de carvão vegetal.

Como afirma Paloma Jorge Amado, "comer tamarindo puro é coisa de menino", que chupa os caroços como se fossem balas. Uma gostosura azeda, passatempo antigo que permanece doce na memória dos adultos.