Retour à l'accueil

                  
Pupunha

Nome científico : Bactris gasipaes

A Pupunha é uma palmeira que pode chegar a 20 metros de altura, e ocorre em toda a Amazônia. Inicialmente isolada, com o tempo forma touceiras. Estipe recoberto por anéis de espinhos negros.

Folhas longas. As folhas tenras não expandidas, localizadas no centro da coroa, formam o palmito, um importante produto econômico.

As flores de sexo separado, de coloração e tamanho semelhantes, possuem um cheiro característico que atrai muitos insectos polinizadores. As flores masculinas caem após liberar o pólen e as femininas desenvolvem-se em pequenos frutos vermelhos, amarelos ou alaranjados, com cerca de cinco centímetros de diâmetro. Os cachos podem conter entre 50 e 1000 frutos.

Frutos tipo drupa, cónico. A casca dos frutos maduros pode ser vermelha, amarela, alaranjada ou totalmente verde. Quando maduros a casca fina adere ou não à polpa, de coloração amarelada ou alaranjada.

A frutificação vai de novembro a junho

Todas as partes da planta podem ser utilizadas:
Sua palmeira é empregada em paisagismo; sua raiz como vermicida; as folhas servem de palha para a cobertura de casas rústicas e das habitações ribeirinhas da região Amazônica, e servem como material para a tecedura de cestas, tapetes e balaios; o tronco para a fabricação de casas e implementos agrícolas, arcos, flechas, arpões e varas de pescar; os caules secundários, de alto valor para alimentação, podem ser consumidos como palmito; as inflorescências são usadas como tempero; o fruto (cozido, seco ou torrado) na fabricação de bolos e pães. Também são usados no preparo de sorvetes, doces e vinhos; a raiz constitui um bom vermicida; e do broto terminal aproveita-se o palmito de excelente qualidade e usado em diversas receitas na culinária. A principal forma de consumo é o fruto cozido e com sal. Os frutos são energéticos, devido aos elevados teores de gordura e vitamina A. Dos resíduos, faz-se ração para animais.