Retour à l'accueil

         
Português, a língua oficial do Brasil


- 30/1/09 - Software com novo corretor ortográfico já está disponível - 'Vero', programa que levou dois meses e 80 pessoas para ser feito, deverá ser revisado assim que sair o Volp - Insônia e a paixão pelo idioma fizeram do sergipano Raimundo Santos Moura, de 46 anos, o responsável pela primeira migração de um software para a nova ortografia da língua portuguesa. - Bruno Versolato, Especial para O Estado
Les langues sont sans doute la plus grande création du génie humain et chaque langue témoigne d'une façon unique de la faculté linguistique de l'humanité.

Les langues ne sont pas seulement des outils extrêmement propices à la communication, elles reflètent aussi une perception du monde: elles sont des véhicules de systèmes de valeur et d'expressions culturelles, et elles constituent un facteur déterminant de l'identité de groupes et d'individus. Les langues représentent une partie essentielle du patrimoine vivant de l'humanité.


A língua é o mais forte elemento de identidade dos grupos humanos, pois, além de ser o instrumento familiar de comunicação desde a primeira infância até a velhice, que consolida as relações sociais entre todos os membros do grupo, é o código único em que estão registrados todos os conhecimentos culturais que asseguram a sobrevivência sadia desse grupo”, afirma Aryon Rodrigues, do Laboratório de Línguas Indígenas da Universidade de Brasília.


Instituto Machado de Assis - Apresentação

Missão:
Formular e coordenar as políticas de promoção da Língua Portuguesa no Brasil e no mundo.
Induzir, catalisar e organizar a pesquisa em Língua Portuguesa.
Ser referência em Língua Portuguesa para o ensino e formação de professores.
Promover atividades científicas e culturais, no Brasil e no mundo, visando à promoção e difusão da Língua Portuguesa.


O idioma português chegou ao território brasileiro a bordo das naus portuguesas, no Século XVI, para se juntar à família lingüística tupi-guarani, em especial o Tupinambá, um dos dialetos Tupi. Os índios, subjugados ou aculturados, ensinaram o dialeto aos europeus que, mais tarde, passaram a se comunicar nessa “língua geral” - o Tupinambá. Em 1694, a língua geral reinava na então colônia portuguesa, com características de língua literária, pois os missionários traduziam peças sacras, orações e hinos, na catequese.

Com a chegada do idioma iorubá (Nigéria) e do quimbundo (Angola), por meio dos escravos trazidos da África, e com novos colonizadores, a Corte Portuguesa quis garantir uma maior presença política. Uma das primeiras medidas que adotou, então, foi obrigar o ensino da Língua Portuguesa aos índios.

Lei do diretório

Em seguida, o Marques de Pombal promulgou a Lei do Diretório (1757) que abrangia a área compreendida pelos estados do Pará e do Maranhão, um terço do território brasileiro de então. Esta lei considerava a língua geral uma “invenção verdadeiramente abominável e diabólica” e proibia às crianças, filhos de portugueses, e aos indígenas aprenderem outro idioma que não o português.

Em 1759, um alvará ampliou a Lei do Diretório: tornou obrigatório o uso da língua portuguesa como idioma oficial em todo o território nacional. Portanto, ao longo de dois séculos, o Brasil possuiu dois idiomas: a língua geral ou tupinambá e o português.

Português no mundo

Hoje, o mundo que fala português (lusófono) soma cerca de 200 milhões de pessoas. É o oitavo idioma mais falado no planeta e a terceira entre as línguas ocidentais, após o inglês e o castelhano. É, ainda, o idioma oficial de oito países, todos eles ex-colônias portuguesas: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor.

Com a admissão de Portugal na União Européia, o português passou a ser uma de suas línguas oficiais.

Extraído de : http://www.brasil.gov.br/pais/lingua_portuguesa/portugues


- Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa - O texto completo.

- A mudez do Brasil no exterior - Pesquisadores acusam o governo brasileiro de nada fazer pela cultura e pela língua portuguesa no exterior. A omissão se agrava no momento em que a demanda de professores cresce com a globalização e a consolidação do Mercosul - Miguel Glugoski

- Brasil e Portugal firmam acordo para criar instituto - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, divulgaram na última quinta-feira, 13/10, na cidade do Porto, uma declaração conjunta que contempla diversos itens de interesse educacional. Os dois temas principais são: o anúncio da futura criação do Instituto Machado de Assis, no Brasil, e a promoção da língua portuguesa na era digital. A criação do Instituto Machado de Assis, para promoção e difusão da língua portuguesa fora do Brasil, é um antigo sonho do Ministério da Educação, mas somente a partir de 2004 começou a ganhar impulso. A exemplo de países como Portugal, Espanha e Alemanha, que mantêm institutos de promoção de suas línguas em outros continentes (Camões, Cervantes e Goethe, respectivamente), o Brasil pretende difundir a cultura brasileira e o português fora do espaço lusófono. A criação do Instituto Machado de Assis será feita com orientação do Instituto Luís de Camões, sob coordenação do Itamaraty e em acordo com a Academia Brasileira de Letras e o Ministério da Cultura. - Declaração Conjunta do Primeiro Ministro da República Portuguesa e do Presidente da República Federativa do Brasil

- A (mu)dança das línguas - Subordinação social é acompanhada por subordinação linguística. Empréstimos e incorporação de termos refletem economia e política - Inglês: novo esperanto? - O português vai desaparecer? - Patrícia Mariuzzo, IPHAN

- "Movimento literário" aborda linguagem oral da fronteira entre o Brasil e o Paraguai - Brasileiro chega a uma lanchonete de Buenos Aires e dispara: "Por fabor, me bê una Cueca-Cuela?". Quando se fala no portunhol, é numa cena assim que todo mundo pensa. Mas eis que agora surge um "movimento literário" que é contra essa versão "turística" da mescla entre o português e o espanhol - geralmente carregada de espírito de porco, preconceito e certa ignorância. - Sylvia Colombo, Folha de S.Paulo - 28/11/07

- Das línguas africanas ao português brasileiro - Do século XVI ao século XIX, o tráfico transatlântico trouxe para o Brasil 4 a 5 milhões de falantes africanos extraídos de duas regiões subsaarianas : a região banto, situada ao longo da extensão sul da linha do equador, e a região oeste-africana ou sudanesa, que abrange territórios que vão do Senegal à Nigéria. - Yeda Pessoa de Castro

- Origem das Palavras relativas ao Casamento - Léxico do Casamento

- Língua que dá samba - Especialistas analisam música que a Mangueira levará a Sapucaí, homenagem ao idioma português que faz referências a Olavo Bilac e Fernando Pessoa - Fevereiro 2007

- CCJ da Câmara aprova lei contra estrangeirismos - A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou ontem (13), o projeto de lei do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) que trata da promoção, proteção e defesa da língua portuguesa. A proposta, já aprovada pelo Senado, segue agora para última votação no Plenário. O projeto combate o uso excessivo de expressões em língua estrangeira que dificultam a comunicação do povo brasileiro. - Espaço Vital - Dezembro 2007

- Riquezas ameaçadas - Entre as 180 línguas indígenas faladas no Brasil, boa parte está ameaçada de extinção; educação e até a tecnologia são armas na luta pela preservação


Vocabulário ao pé da letra...

                         Alopatia - Dar um telefonema para a tia.
Abreviatura - Ato de se abrir um carro de polícia.
Açucareiro - Revendedor de açúcar que vende acima da tabela.
Bacanal - Reunião de bacanas.
Barbicha - Boteco para gays.
Caatinga - Cheiro ruim.
Cálice - Ordem para ficar calado.
Caminhão - Estrada muito grande.
Canguru - Líder espiritual de um cachorro.
Catálogo - Ato de se apanhar coisas rapidamente.
Compulsão - Qualquer animal com pulso grande.
Depressão - Espécie de panela angustiante.
Destilado - Aquele que não está do lado de lá. (companheiro PT)
Detergente - Ato de prender indivíduos suspeitos.
Determina - Prender uma moça.
Esfera - Animal feroz amansado.
Evento - Constatação de que realmente é vento, e não furacão.
Exótico - Algo que deixou de ser ótico, passou a ser olfativo ou auditivo.
Formiga - Tradução do Inglês: "Para uma Amiga".
Genitália - Órgão reprodutor dos italianos.
Homossexual - Sabão utilizado para lavar as partes íntimas.
Leilão - Leila com mais de dois metros de altura.
Locadora - Uma mulher maluca, de nome Dora.
Novamente - Diz-se de indivíduos que renovam a sua maneira de pensar.
Obscuro - "OB" na cor preta.
Psicopata - Veterinário especialista em doenças mentais de patas.
Quartzo - Partze ou aposentzo de um apartamentzo.
Razão - Lago muito extenso, porém, pouco profundo.
Rodapé - Aquele que tinha carro, agora, roda a pé.
Sexólogo - Sexo apressado.
Simpatia - Concordância com a irmã da mãe.
Sossega - Mulher que tem os outros sentidos, mas é esprovida de visão.
Talento - Característica de alguma coisa devagar.
Típica - O que o mosquito nos faz.
Trigal - Cantora baiana multiplicada por 3.
Unção - Erro de concordância muito freqüente (o correto seria: um é).
Vidente - Dentista falando sobre seu trabalho.
Viúva - Ato de ver uva.
Volátil - Sobrinho avisando aonde vai.
Zoológico - Reunião de animais racionais


Sotaque mineiro: é ilegal, imoral ou engorda?

Gente, simplificar é um pecado. Se a vida não fosse tão corrida, se não tivesse tanta conta para pagar, tantos processos — oh sina — para analisar, eu fundaria um partido cuja luta seria descobrir as falas de cada região do Brasil...
Uma crónica de Felipe Peixoto Braga Netto, cheia de humor, extraída do livro "As coisas simpáticas da vida", Landy Editora, São Paulo - 2005, pág. 82.


Expressões Idiomáticas - O significado de algumas expressões idiomáticas...


Algumas Advinhas - Para passar um momento agradável...


Algumas particularidades da Língua Portuguesa (que convém conhecer quando se vai ao Brasil)


Usos do porquê

Na Língua Portuguesa, há quatro maneiras diferentes de se grafar o porquê:

1) Porquê (junto, com acento):
É um substantivo, portanto deverá ser usado, quando surgir, antes dele, uma palavra modificadora – artigo (o, os, um, uns), pronome adjetivo (meu, esse, quanto) ou numeral (um, dois, três, quatro). Como é um substantivo, admite plural: porquês. Exemplos:
— Ninguém sabe o porquê de tanto desdém.
— Quantos porquês! Pare de fazer-me perguntas.

2) Por quê (separado, com acento):
É a junção da preposição por com o substantivo quê, que só é usado em final de frase. Aliás, sempre que a palavra "que" for usada em final de frase, deverá ser acentuada, independentemente do elemento que surja antes. Exemplos:
— Você não me telefonou ontem por quê?
— Nem eu sei por quê.
— Você está rindo de quê?
— Você procurou-me para quê?

Nota 1: A palavra "que" será acentuada, quando estiver antecedida por uma palavra modificadora, ou quando for uma interjeição que designa espanto. Exemplos:
— Ela tem um quê de mistério.
— Quê? Ela esteve aqui, e você não me avisou?

Nota 2: Quando, anteriormente ao "que", surgir a palavra "o", "a", "os" ou "as", teremos pronome demonstrativo (o, a, os, as), com o mesmo valor de "aquele, aquela, aquilo", e pronome relativo (que). No caso de "a que", também pode ser a preposição "a". Exemplos:
— Não entendi o que você falou = Não entendi aquilo que você falou.
— Dos concorrentes, o vencedor será o que mais votos obtiver = Dos concorrentes, o vencedor será aquele que mais votos obtiver.
— A peça a que assisti é maravilhosa. (Esse "a" é preposição)

3) Por que (separado, sem acento):
a) É a junção da preposição por com o pronome interrogativo que; significa por que motivo, por qual razão. Exemplos:
— Por que o professor faltou hoje? = Por qual razão o professor faltou?
— Não sei por que o professor faltou hoje = Não sei por qual motivo o professor faltou hoje.

b) É a junção da preposição por com o pronome relativo que; pode ser substituído por pelo qual, pelos quais, pela qual, pelas quais ou por qual. Exemplos:
— O aperto por que passei foi terrível = O aperto pelo qual passei foi terrível.
— A causa por que luto é nobilíssima = A causa pela qual luto é nobilíssima.

4) Porque (junto, sem acento):
É uma conjunção, portanto estará ligando duas orações, indicando causa (= já que), explicação (= pois) ou finalidade (= para que). Exemplos:
— O espetáculo não ocorreu, porque o cantor estava gripado = O espetáculo não ocorreu já que o cantor estava gripado.
— Estudem, porque consigam a aprovação = Estudem para que consigam a aprovação.
— Pare de falar, porque está atrapalhando-me = Pare de falar, pois está atrapalhando-me.

Algumas pérolas do ENEM

O recente Exame Nacional do Ensino Médio rendeu algumas "pérolas". Na redação de português, os estudantes tinham que dissertar sobre ecologia. Mas não foi só a língua portuguesa que saiu massacrada. Os testes revelaram ainda a falta de conhecimentos sobre a nossa história e cultura, além dos erros comuns de construção e grafia. O assustador é perceber que falta, principalmente, raciocínio. Muitos alunos do ensino médio não conseguem sequer escrever uma frase que faça sentido e somente agrupam palavras que uma vez ouviram na rua, no telejornal ou nas aulas.

A relação de "Pérolas do Enem" está sendo distribuída por um dos professores que corrigiram as provas, mas que não quer se identificar, pois houve uma recomendação especial da Cesgranrio, que elaborou o teste, para não expor os autores das provas e a íntegra dos textos.

Para um estudante, "os desmatamentos de animais precisam acabar", enquanto outro afirma que "precizamos de menos desmatamentos e mais florestas arborizadas" o que, para um terceiro "é um problema de muita gravidez", possivelmente "devido aos raios ultra-violentos".

Outro examinando critica os países desenvolvidos, pois "eles querem que nós se matem por eles e a única solução é alugar o Brasil para os outros", enquanto "na televisão o governo vem com aquela prosopopéia flácida". Um candidato acha que os problemas ambientais ocorrem porque "todos os fiscais são subordinados; é a propina", melhor entretanto é a afirmação de que "os lagos são formados pelas bacias esferográficas".

Uma professora paulista que participou da correção, Marta Leite, e que viu a relação de bobagens escritas pelos alunos, não considera tão negativo o resultado. "Como a prova foi de âmbito nacional, houve 400 mil avaliados, e é normal que entre eles haja semi-analfabetos que nada perdem ao tentar conseguir os créditos em caso de aprovação", diz ela.

"Os professores do Brasil inteiro e também a mídia conseguiram transformar a defesa do meio ambiente num valor universal entre os estudantes", diz a especialista. "O que falta agora é o segundo passo, transformar essas idéias difusas e mal concatenadas num discurso efetivo de preservação", avalia.

A professora lembra que todas as provas estão escaneadas na Internet e se forem analisadas por pesquisadores, desde que autorizados, permitem verificar em que Estados e regiões o ensino tem sido melhor e onde há necessidade de reforço. Apesar do otimismo da professora, a lista impressiona:

"o problema ainda é maior se tratando da camada Diozoni";
"na época de Cristo não haviam hindústrias para poluir e assim mesmo háviam problemas sociais entre os povos";
"no paiz enque vivemos, os problemas cerrevelam";
"o que é de interesse de todos nem sempre interessa a ninguém";
"a natureza foi discuberta pelos homens a 500 anos atrás";
"não preserve apenas o meio ambiente, mas sim todo ele";
"o maior problema da floresta Amazonas é o desmatamento dos peixes";
"nos dias de hoje a educação está muito precoce";
"hoje endia a natureza não é mais aquela";
"vamos mostrar que somos semelhantemente iguais";
"precisamos agir de maneira inesperável";
"na Amazonas está cendo a maior derrubagem e extração de madeira do Brasil";
"vamos deixar de sermos egoístas e pensarmos um pouco mais em nós";
"por isso eu luto para atingir os meus obstáculos";
"o fenômeno Euninho";
"a concentização é um fato esperançoso para o território mundial";
"o serumano no mesmo tempo que constrói também destói, pois nois temos que nos unir para realizar parcerias".

Estadão, 14/10/06


Mais pérolas, mas estas do Vestibular

História:
"A finalidade das Cruzadas era passear pelo deserto em busca de aventuras."
"Anchieta ficou como refém entre os índios, lá ele escreveu o poema à Virgem Maria e fez o rascunho na praia."
"Os engenhos brasileiros eram chamados de senhor de engenho."
"Luís Alves de Lima e Silva pela sua bravura recebeu o nobre título de 'Caxias'."
"Na história do descobrimento do Brasil, o acaso é um ponto convertido."
"O Brasil, se pensarmos e olharmos bem, não foi descoberto por acaso."
"Por causa do ouro em Minas Gerais, Filipe dos Santos foi preso e esquartejado por dois cavalos."
"Com o descobrimento da bússola, os marinheiros puderam se afundar no mar."
"Depois que Gutemberg inventou a imprensa, isso revoltou o mundo."
"Antigamente, antes da invenção da imprensa, a leitura era sacrilégio dos ricos."
"A luta de classes entre os romanos foi a maior luta de todos os tempos."
"Araribóia, depois da expulsão dos franceses, por causa de sua coragem, ganhou como prêmio umas seis marias perto do Rio de Janeiro."
"Os índios brasileiros tinham medo dos animais domésticos; eles só gostavam de animais ferozes."

Geografia:
"As raças têm muita diferença entre si: assim, uns têm nariz chato, outros igual de papagaio, outros rebitados, etc."
"A escala serve para saber quanto que um mapa é menor que ele mesmo."
"Latitude de um lugar é quando a gente pega uma barca e chega no mesmo lugar."
"Horizonte é onde que parece que é o fim do mundo."
"O horizonte é até aonde a nossa vista alcança e conforme a gente vai andando ele também vai."
"A Terra é um dos planetas mais conhecidos do mundo."
"As constelações servem para esclarecer a noite."
"O tamanho da terra e do sol é como um grão de areia e uma sala de aula."
"O Brasil é um dos países mais intensos do mundo."
"A alimentação é o meio de digerirmos o corpo."
"Influência do meio sobre o homem: exemplo - o fato de uma pessoa estar rindo e a colega não sabendo porque a outra ri, poem-se a rir também, é a influência."
"Princípio de Arquimedes: todo corpo mergulhado na água, sai completamente molhado."

Matemática:
"Ângulo é duas linhas que vão indo e se encontram."
"Triângulo são os filhos trigêmeos do ângulo."
"Circunferência é uma roda chata. Para a sua fabricação usamos o compasso."
"Tangente é quando a bola passa raspando no jogo de futebol. Ela também tem o nome de trave."
"Conjunto vazio é aquele em que os músicos não sabem nada de música e tocam 'na orelhada'."
"Um paralelepípedo é um animal cujos dois pés para paralelos."
"Um número concreto é um número que vemos a olho nú."

Português:
"Objeto direto é quando a gente ganha um presente diretamente da pessoa que dá; e indireto, a pessoa não pode entregar e manda outro dar."
"Vogal é a letra que sai do pulmão até a boca."
"Sujeito é a pessoa com quem estamos falando."
"Preposição é quando uma pessoa coloca um objeto antes de a gente mandar."
"Abreviação é quando o aluno está com preguiça de escrever a palavra toda, então só escreve uma parte dela."
"Artigo é qualquer tipo de mercadoria. Assim, quando vamos a uma loja e o balconista quer vender mesmo, ele diz assim: 'Este artigo é o melhor da praça.'"

O Estado de S. Paulo, 10/10/2001



Quelques noms, prénoms brésiliens... L'imagination d'un peuple...

Une page où vous pouvez trouver des noms et des prénoms enregistrés auprès des offices du registre civil brésilien:
Antônio Morrendo das Dores, Antonio Treze de Junho de Mil Novecentos e Dezessete, Chevrolet da Silva Ford, Colapso Cardíaco da Silva, Deus Quer Magalhães Mota, Ernesto Segundo da Família Lima, Padre Filho do Espírito Santo Amém, e muitos mais assim...

Il ya aussi quelques personnalités:
Anjo Gabriel Rodrigues Santos, Charles Chaplin Ribeiro, Elvis Presley da Silva, Hericlapiton da Silva, Ludwig van Beethoven Silva, Maicon Jakisson de Oliveira, Marili Monrói, Marlon Brando Benedito da Silva, Adolpho Hitler de Oliveira, Sherlock Holmes da Silva...

Uma empregada doméstica, daquelas bem simples, deu à filha o nome de Madeinusa. Quando uma pessoa da casa foi perguntá-la o motivo do nome, ela respondeu, inocentemente:
"É que eu estava pegando suas roupas para lavar e li na etiqueta de sua camiseta a palavra 'Made in USA', eu achei tão lindo..."

E tem uma mulher chamada Jafa Lei. O diálogo no cartório: "Qual o nome?" "Já falei..."

Source: jus navigandi


Um saite para aprender a falar bem Português

- P - Língua Brasil - Proporcionar a brasileiros e estrangeiros meios de aperfeiçoar-se na língua falada e escrita no Brasil.