Retour à l'accueil

                  
Pinha

Nome científico : Annona squamosa L.

A fruta é também conhecida pelos nomes de ata, fruta-de-conde e condessa. Pomme cannelle em francês.

É originária da América Central de onde se expandiu para o Oriente e Filipinas. Foi introduzida na Bahia, em 1926, pelo Conde Miranda, sendo cultivada em diversos estados brasileiros.

Árvore pequena de 5 a 8 metros de altura com muitos galhos. Aprecia regiões quentes e secas. Prefere pouca chuva.

Folhas verde-escuras, com pêlos na parte inferior, rígidas, dispostas caracteristicamente intercaladas na posição horizontal ao longo dos ramos.

Flores creme-amareladas. Florescem ao longo de todo o ano.

O fruto tipo baga, quase esférico recoberto de escamas verdes, é um sincarpo arredondado, originado de uma única flor, formado pela fusão de muitos carpelos simples. À medida que vai amadurecendo, essas saliências mudam de cor, passando do verde claro para o verde meio cinzento. A polpa é formada por gomos com sementes compridas, pretas e lustrosas recobertas por uma massa branca ou creme, doce e quase sem acidez. É macia, granulada, perfumada e saborosa. Para amadurecer em casa, basta deixá-la em local protegido da luz. Quem tiver pressa, pode embrulhar em jornal. A pinha deve ser consumida ao natural. Nesse caso, ficará ainda mais saborosa se estiver ligeiramente gelada. Basta lavar bem, parti-la com as mãos, e comer com garfo.

Fructificação durante todo o ano.

A pinha é uma fruta que contém muito açúcar, portanto não é recomendada para quem faz regime de emagrecimento.

Pode ser consumida ao natural ou em forma de sucos, doces ou sorvetes.

Com a polpa da pinha se fazem deliciosos purês que podem ser servidos com carne assada ou filé de peixe grelhado. Fazem-se também cremes doces, que acompanham bolos, tortas e sorvetes. Combinada com cremes, pode-se fazer perfumadas mousses e sorvetes. O purê é utilizado ainda como recheio para tortas e sufles.

Embora não seja muito rica em ferro, a pinha pode ser vantajosamente incluída na dieta de anêmicos juntamente com outros alimentos ricos em ferro, dada sua riqueza em vitamina C. Aplicando no couro cabeludo o macerado das sementes misturado com álcool, ajuda a evitar a caspa. Com o chá das folhas faz-se uma infusão para combater as cãibras.

Segundo crença popular, não fica piolho nenhum na cabeça de quem passar por baixo de um pé de pinha. No Sertão, é conhecido como eficiente estimulante sexual. Predecessor, portanto, do Viagra.

 


© Hervé Thery

                  


Mousse de Pinha ou Fruta de Conde

Ingredientes:

            6 frutas-do-conde grandes
            1 envelope de gelatina branca sem sabor
            5 colheres de sopa de água
            4 claras
            1 xícara de chá de açúcar
            1 xícara de chá de creme de leite fresco
            raminhos de hortelã (para decorar)

Modo de preparo:

Abra a fruta-do-conde e tire polpa de cada bago, desprezando as sementes.
Ponha a polpa em uma tigela, reservando algumas para decoração.
Hidrate a gelatina com a água e leve ao banho-maria para dissolver. Retire do fogo e junte a polpa da fruta.
Bata o creme de leite até formar um creme grosso e incorpore-o ligeiramente à mistura feita com a polpa. Reserve.
Bata as claras em neve e acrescente o açúcar. Continue batendo até obter ponto de suspiro e junte à mistura anterior.
Com uma colher, mexa com movimentos de baixo para cima e distribua em uma travessa ou em taças.
Leve à geladeira por cerca de 3 horas.
Decore com a polpa reservada ou com folhinhas de hortelã.

in Cantinho da Sol