Retour à l'accueil

                  
Calabaça

Nome científico : Crescentia cujete L.

Nome comum: cuité, coité, cabaceira, cuieira, “calabash” (inglês)

Árvore perene de porte médio de até 16 metros de altura. Tronco e galhos tortuosos, pendentes, com casca de coloração acinzentada e cobertos por folhas em toda a sua extensão. As folhas são simples, inteiras, alongadas, de diversos tamanhos, cor verde-escura e brilhante, glabras ou ligeiramente pilosas nas nervuras da face inferior. Não forma uma copa frondosa.

As flores muito vistosas, são relativamente grandes, tubulosas, grandes, hermafroditas, formadas ao longo do tronco e ramos de cor branco-amarelada.

Os frutos globosos são ovóides ou arredondados, cor verde-clara, com 15 a 30 centímetros de diâmetro com epicarpo verde, flexível e endocarpo lenhoso e resistente. As cascas dos frutos tornam-se marrom-negros quando maduros e bem duros. A polpa é amarelada e contém muitas sementes.

Fruto: Julho a setembro

A planta se desenvolve e frutifica bem em condições de temperatura quente a amena, não tolera regiões frias sujeitas a geada. A propagação é feita principalmente por sementes e pode ser feita também por enraizamento de estacas.

A planta é adequada para plantio em parques e jardins, pelo exotismo de seus frutos gigantes, semelhantes à melancia, no tronco e nos ramos. As sementes de elevado conteúdo proteico, podem ser consumidas, se cozidas ou torradas. A polpa pode ser usada no preparo de xarope. Os frutos, depois da retirada da polpa e secos, podem ser usados como recipientes domésticos, chocalhos, cuias, pratos e colheres rústicos.

Seu fruto, depois de lavado e seco, é utilizado como caixa de ressonância em berimbaus (instrumento musical afro-brasileiro).

   

O fruto possui propriedades terapêuticas, mas é preciso muito cuidado no seu uso, pois também pode ser tóxico. O decocto e o extrato da casca são muito eficazes no tratamento da inflamação do intestino e contra o acúmulo anormal de líquidos no corpo. A polpa, quando verde, é corrosiva e usada no tratamento de doenças respiratórias, e quando madura, é abortiva. De seus frutos também se pode obter tinturas, além de cuias, muito usadas como vasilhas.


Retour à l'accueil